O cristão e as bebidas alcoólicas

bebida, comportamento, cristão
Reflexão
O cristão pode beber?
Não destruas por causa da comida a obra de Deus. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo. Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça. Romanos 14:20,21
Para um cristão tomar uma simples taça de vinho ou um copo de cerveja com amigos, este estará destruindo seu corpo, ou o templo do Espírito Santo conforme Paulo afirmou em uma de suas cartas?
Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. 1 Coríntios 3:16,17
Podemos considerar que não há co-relação nos textos de 1 Co 3:16,17 e Romanos 14:21, pois no texto de Romanos, Paulo trata de costumes de um indivíduo na sociedade, e o que segundo cada um julga uma prática, não que seja necessariamente algo que tire a comunhão da pessoa com Deus, mas a fé de cada um tem uma dimensão sim, a nível pessoal.
Portanto se um irmão julga ser pecado beber ou comer determinadas coisas, vai do que julga cada um, como Paulo completa.
Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova. Romanos 14:22
Já o texto de Tiago serve como resposta, se é que alguém considera isso como pecado, onde é claro que não cabe tal coisa para quem tem dificuldade em se controlar com determinado desejo ou prazer.
Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Tiago 1:14
Ex.: Se uma pessoa é muito preguiçosa, gosta de dormir muito, não trabalha e não busca trabalhar, logo o sono para essa pessoa é algo que irá a prejudicar, se tornando pecado, e isso vale para todas as volições do ser humano.
Significado de volição:
Substantivo feminino; Ato pelo qual a vontade toma uma determinação. [Dicionário Priberam]
Acredito que ninguém esteja deve defender o consumo desregrado de bebida, logo o consumo normal e natural não entra no âmbito de pecado, a não ser que entre na questão que citou o apóstolo Tiago.
O que acontece é que a cultura evangélica, mais especificamente a do século passado, diante do consumo degradante da sociedade, impôs isso como sendo pecado em suas doutrinas, logo isso chegou até nós, quando ouvimos de algum líder que ensinando que essa prática é pecado, mas na verdade o que eles querem trazer, é o sentido pejorativo de quem se embebeda, não apontando exatamente ao que traz o malefício, e então condenam a prática de forma radical, ou seja, que o consumo seja zero.
E em relação aos pecados, ou mais especificamente a beber muito?
Aquele que não se entrega aos desejos e prazeres do corpo, pois o que conta no final é o que faz de sua vida íntima com Deus, e também se a sua vida cotiada está ajudando ou atrapalhando outros a se salvarem.
A salvação é individual, mas nós podemos atrapalhar os outros a serem salvos, isso é totalmente possível.
Quando podemos ajudar alguém a se salvar?
No sentido de ser exemplo, aconselhar, dar um bom testemunho e etc.
Você fica bêbado(a) quando bebe?
Se a pessoa bebe a ponto de se embriagar, já é algo preocupante, e pode ser um caso de falta de domínio próprio.
Lembrando que pecado não é só aquilo que fazemos e os outros veem, também são aqueles pecados que temos conosco em nossa intimidade, ou seja, num é só porque me entrego escondido a um desejo ou prazer, que isso não seja pecado, e escondido não só no sentido de estar sozinho, mas também quando não estamos perto de alguém que julgue o que estamos fazendo.
Quando podemos julgar?
Podemos sim julgar segundo a reta justiça, e isso dentro do contexto geral o texto de João, entre outros textos como referência, onde podemos aplicar um julgamento justo quando virmos algum irmão que está em pecado.
Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça. João 7:24
Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai pois dentre vós a esse iníquo. 1 Coríntios 5:11-13
Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? 1 Coríntios 6:2
Paulo em sua carta aos coríntios também trata em âmbito geral, todos os pecados de morte que permeiam o ser humano, e chega a afirmar que tudo é lícito, mas não significa que tudo é bom pra nós.
Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.
E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus.
Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.
Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a fornicação, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo.
Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder.
Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? Não, por certo. 1 Coríntios 6:10-15
Reflita!
Veja também »

Como Deve se Comportar Um Jovem Cristão?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *